Lilypie Kids Birthday tickers

 

Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007

Método Estivill

Depois do post anterior, se calhar muitos de vocês ficaram a pensar "Que método é este, que faz com uma criança comece a dormir bem, praticamente de um dia para o outro?" 

Para os interessados, vou explicar sucintamente em que consiste o Método Estivill (a mamã fez este textinho "jeitoso", porque eu ainda não sei fazer resumos...)

Tudo começa com a criação de rotinas no dia-a-dia da criança, que deverá ter horários fixos para as refeições, para o banho e, claro está, para dormir.

A partir daí, há que adoptar uma atitude firme e segura, eliminando da hora do "dormir" uma série de coisas consideradas "proíbidas", tais como: dar colo, embalar, passear, ver televisão, brincar até à exaustão, dar água ou leite, etc.)

Há que estabelecer elementos externos associados ao sono, que deverão acompanhar a criança durante toda a noite.

- um boneco (Zézinho - nome sugerido pelo autor);

- várias chupetas espalhadas pelo colchão (se a criança utilizar);

- um desenho ou um cartaz realizado pelos pais, que esteja perto da criança, mas não ao seu alcance.

Deve criar-se o Hábito da Afectividade, que consiste em brincar com a criança durante 5-10 minutos, logo após o jantar, em qualquer divisão da casa, excepto no quarto. É ainda desaconselhável realizar actividades que deixem a criança demasiado excitada (tipo ver televisão).

Em seguida, deita-se a criança na sua cama, junto dos elementos já referidos e diz-se, num tom firme mas sereno, uma frase do género "Meu amor, o papá e a mamã gostam muito de ti e por isso vão ensinar-te a dormir sozinho. Vais ficar aqui a dormir no teu quarto com o Zézinho e com o teu desenho."

Se a criança chorar (o que vai concerteza acontecer), devem realizar-se pequenas visitas ao seu quarto para a tranquilizar, respeitando intervalos fixos (que aumentam de visita para visita) repetindo a frase anteriormente referida. Nesta fase não é permitido qualquer contacto entre pais e criança, salvo raras excepções (fralda suja, vomitado).

FInalmente, e por estranho que possa parecer, a criança irá adormecer (este processo pode inicialmente demorar cerca de 2 horas) e no espaço de uma/duas semana irá aprender a conciliar o sono sozinha.

NOTA IMPORTANTE: Para uma maior eficácia, esta técnica deve ser utilizada também durante as sestas da criança e sempre que ela acorde durante a noite.

Fonte: Estivill, E. (2007), Método Estivill, Dom Quixote.

Espero que tenham ficado esclarecidos. Segundo o autor, este método funciona em 95% dos casos em que é aplicado e eu orgulho-me de fazer parte desse grupo.

Obrigada papás, por me ensinarem a dormir!

 

publicado por princesa_beatriz às 21:38
link do post | deixe um miminho
83 comentários:
De rita a 14 de Janeiro de 2008 às 17:33
OLÁ,o meu nome é Rita e a razao pela qual estou a escrever é porquec omeçei hoje a tentar aplicar o metodo de estivill no meu bebe, o Lourenço. Ele está com 4 meses e meio e acordade de 3 em e horas durante a noite, quando não é menos. Além disso não dorme practicamente nada durante o dia, nem meia hora. É dependente do contacto fisico para adormecer, mas, mesmo assim, quando adormece, dai por escassos minutos acorda e já não consegue voltar a dormir, porque já lá não estamos.
Está a custar-me horrores deixá-lo a chorar. Começaste a sentir diferenças no sono da tua menina quantos dias depois de iniciares o metodo de estivill? precisava muito que partilhasses comigo a tua experiência para me dar força para nao desistir. Eu sei que , a resultar, vale a pena, pois o sono é essencal para o crescimento e bem estar dum bebe, mas custa tanto.....estou aqui e estou a ouvi-lo a chorar na caminha dele..... Só me dá vontade de chorar tb. O resultado pode ser bom, mas custa muito!MUITO!
Se me puderes responder o meu e.mail é dantasr@hotmail.com
Muito Obrigada e desculpa o desabafo, mas o teu blog e o teu testeminho incentivou-me a experimentar esta técnica, para bem do meu filho!
Rita
De Ana a 20 de Abril de 2008 às 23:21
Ola, Rita
Cheguei a este blogue ao fazer uma pesquisa sobre o metodo Estivill. Tenho uma filha de dois anos que sempre foi problematica para dormir. Segui varios metodos, q nao implicasse q ela chorasse, pois discordo de abordagens que facam sofrer os bebes. Nenhum metodo resultou e neste momento a minha filha dorme na nossa cama. E todos dormimos descansados.

"Ensinar" um bebe fazendo com que ele chore ate vomitar acho uma desumanidade e uma forma de tortura, para os bebe e para os pais. Optei por seguir a minha intuicao.

Beijinhos e felicidades.
Ana
De princesa_beatriz a 21 de Abril de 2008 às 16:53
Olá Ana.
Agradeço o comentário, mas a autora do post sobre o Método Estivill não foi a Rita.
A Rita foi a autora de um outro comentário.

Só para que conste, o método estivill não faz sofrer os bebés.
Eles apenas choram pq sabem que isso é uma forma de "amolecer" os pais. Se nós cedermos às birras (pois o choro não passa disso), aí estamos a dar-lhes razão.
Respeito a tua opinião e espero que a tua filha já te dê boas noites de sono, independente do método que usaste para a ensinar a dormir.

Ao início, o método parece chocante, mas se lermos o livro, acabamos por mudar um pouco a nossa opinião. E já que resulta, porque não? Eu acho que os bebés sofrem mais se não dormirem o suficiente.

Beijinhos e felicidades

Mamã da Beatriz
De Lisa a 24 de Março de 2009 às 14:12
Mamã da Beatriz,
tal como a Ana cheguei a este blog através de uma busca ao método Estivill. Já tinha ouvido falar e estava realmente curiosa em conhecer o método "milagroso". Posso dizer-lhe que estou bastante decepcionada. Que existe de "milagroso" em deixar o nosso filho a chorar até adormecer? E que existe de novidade nisso? É matemático: se deixarmos uma criança sózinha a chorar ela acabará por adormecer, ao fim de umas horas. Mas não penso que seja por aprender algo, apenas adormece por se sentir exausta, infeliz e abandonada.
Na verdade sou uma mamã igual a tantas outras, que num momento de exaustão chega a pensar em recorrer a estes métodos "milagrosos" para poder descansar um pouco à noite depois de um dia de trabalho. Mas sou completamente contra tudo aquilo que seja "anti natura" como é este método. Sou a favor de mimar os nossos filhos ao máximo, pois eles são o melhor da nossa vida e só são crianças uma vez. Quero que a minha filhota de dois aninhos se lembre da infância com carinho, e que possa um dia transmitir aos seus filhos essa vivência.
Quanto ao método Estivill creio que o essencial é educar os pais a dormir. Que pais somos nós se impomos regras aos nossos filhos e não as cumprimos? Que tal abdicar da novela da noite, do livro, da internet ou da tv cabo e deitar-se um pouco com a sua filha? Por experiência própria garanto-lhe que pouco depois adormece e dorme muito mais feliz...
De princesa_beatriz a 24 de Março de 2009 às 17:33
Olá Lisa:

Antes de mais obrigada pelo comentário.
Respeito a sua opinião, mas posso-lhe garantir que a minha filha nunca se sentiu infeliz e abandonada durante a aplicação do método. Choro de birra é diferente de choro de sofrimento, e isso os pais distinguem à légua.
E quanto a deitar-me com a minha filha, isso para mim é uma utopia.
Eu não tenho tempo para ver novelas, e raramente vejo tv à noite. Também há muito tempo que não consigo pegar num livro. Isto porque infelizmente tenho uma profissão que não me permite esquecer dela quando estou em casa. Pelo contrário, tenho que trabalhar em casa tanto ou mais do que fora dela. Se não trabalhasse à noite, depois de a Beatriz ter ido para a cama, não sei quando o faria. Às vezes até chego a casa a meio da tarde, mas aproveito para estar e brincar com a minha filha, porque também acho que isso é importante.

Felizmente a Beatriz "aprendeu" a dormir sozinha, pois antes disso eram muitas as noites em que passava horas e horas ao seu lado a tentar com que ela adormecesse.
Não pense que foi de ânimo leve que tomei a decisão de aplicar o método, mas vendo os resultados, nunca me arrependi. Se for a ver, custou-me mais a mim do que a ela.
Eu sei que cada caso é um caso, e se a minha filha tivesse conseguido adormecer de outra forma mais "natural", acredite que nunca teria iniciado o método.

Muitas felicidades para vocês, e espero que continue a visitar o nosso blog.

Mamã da Beatriz
De Lisa a 25 de Março de 2009 às 11:56
Mãmã da Beatriz
Lamento sinceramente pela sua filha que confunda angústia com birra... mas afinal opiniões são opiniões e valem o que valem. Cada mãe tem a sua sensibilidade e seguiu o que a sua consciência ditou, como é seu direito.
Quis apenas deixar-lhe a minha opinião, espero que seja positiva na construção da sua.
Obrigado, muitas felicidades também para vocês.
De SR a 19 de Setembro de 2009 às 23:29
Dona Lisa denoto nos seus comentário um tom de censura na forma da mãe da Beatriz de a educar. Mas posso dizer-lhe desde já que as regras e educação tambem são amor e dedicação aos nossos filhos.
E para isso e preciso saber dar-lhas...uma criança que esta habituada a ter sempre tudo o que quer da forma que quer é uma criança inapta ao convivio com outras crianças...pois como deve saber...os outros não vão ceder ao choro dela. Uma criança que está habituada a ter os adultos a viver completamente em função dela e em função dos seus desejos...não sabe idar com a frustação...não sabe lidar com sentimentos que resultam de uma contradição...de um revés...estão a criar um ser dependente dos outros.
E como todas nós sabemos...os reves e as contradições fazem parte da nossa vida...por isso é importante dar-lhes as ferramentas para lidar com isso..para saber lidar com os sentimentos de frustração...para assim evitarmos as depreções na infancia e na adolescencia. E não pensem vós minhas amigas...que essas ferramentas se adquirem na fase de adulto..não! Claro que o amor e o mimo tem que estar presentes...mas as regras e educação tambem.Lembrem-se que todas as estruturas de educação, convivência e aprendizagem de um ser são construidas na infancia...e que o adulto que será...é o resultado das estruturas que voces lhes criam na infancia.

 
De Raquel a 9 de Outubro de 2014 às 11:09
Mãe da Beatriz,

Apesar de alguns comentários extremos tanto de uma opinião positiva como da negativa venho agradecer-lhe por este post. Deu alguma discussão, mas é, também por isso, muitíssimo informativo e esclarecedor. Obrigada e continuação de bom trabalho :)
De Márcia a 14 de Março de 2014 às 14:36
Concordo inteiramente c/ a Ana! Q desumanidade! Q forma de tortura! Na minha opinião eles acabam por adormecer apenas por exaustão, ou pq percebem q já n podem contar c/ os miminhos dos pais. "Amolecer" os pais??? Pais q não "amolecem" perante um bebé de meses a chorar, não são pais. São carrascos!!
De Paula a 15 de Março de 2015 às 20:56



Olá!Apesar deste meu comentário ser já tardio relativamente à discussão, não posso deixar de expressar a minha concordância com a opinião da Ana.
Está certo que cabe a nós pais "ensinar" os nossos filhos a adormecer. Contudo, esta tarefa nem sempre é fácil, pois cada bebé é diferente. Sei, por experiência própria, que por vezes os pais estão tão desesperados que acabam por recorrer a "métodos" um pouco drásticos. Acredito firmemente que com MUITA paciência, uma rotina fixa, uma chupeta/"doudou" que acompanha o bebé, muito mimo e o colinho da mãe/pai, os nossos bebés acabarão por "aprender" que não estão sozinhos, não foram abandonados e que podem finalmente adormecer... sozinhos. 
De madrugada, quando o meu filho chama por mim, eu vou reconfortá-lo e apesar de exausta penso em como ele passou de um mundo onde não sentia frio ou calor, comia quando tinha fome, sentia-se protegido e confortável, para um mundo onde tem de lidar com a aspereza, a dor, o frio, o barulho,... E esse amor e carinho que o bebé vai receber dos pais vai ser único e irrepetível! 
O link abaixo (está em inglês) relata de forma muito sensibilizante a aplicação do tal método cry-it-out ("deixar chorar"). É impossível ficarmos indiferentes ao texto! Leiam, por favor!


javascript:nicTemp(); (http://http://www.phillyvoice.com/screaming-sleep/)



(http://www.phillyvoice.com/screaming-sleep/)


Eighty-five percent of the neural pathways relating to how we respond and interpret the world are formed in the earliest years of our development. Sensitive caregiving, particularly in the first three years, correlates with professional and social success/hapiness in later life.


Beijinhos e bons sonhos! 


De Rita a 21 de Agosto de 2010 às 14:03
olá,
eu sou mae do joao, que tem 7 meses e continuava a acordar para comer à noite com intervalos de 2-3h, dormia pouquíssimo de dia, não brincava sozinho e era muitíssimo dependente do contacto físico para adormecer. estava-me a custar iniciar o método estivill mas depois de ler o livro pela 2ªvez achei que valia a pena tentar, apesar de as expectativas serem pouco elevadas. adiei várias vezes a decisão só de pensar na ideia de o deixar a chorar horas a fio...
acontece que iniciei o "tratamento" há 4 dias e estou supreendida positivamente. não parece a mesma criança, está muito mais alegre qdo está acordado, já brinca muitas vezes sozinho, está mais calmo e de noite hoje dormiu 10 horas seguidas, coisa que nunca tinha acontecido; na primeira noite chorou cerca de 30 min, no 2º dia metade e na 3ªnoite 7 min. custou-me ouvi-lo chorar mas pensando nos resultados visíveis é indubitavelmente algo que aconselho a quem tenha o mesmo problema. Penso q o principal é a pessoa estar convicta de que o quer aplicar e aplica-lo sem "adaptações (coisa que fiz já anteriormente, sem resultados satisfatórios).
Boa sorte!
De dina teles a 3 de Fevereiro de 2011 às 10:59
também sou conhecedora do método Estivill e gostava de dizer que quando os pais cedem, uma única vez que seja, bem podem

esquecer porque não afirmaram a sua autoridade e deram a perceber à criança a

fragilidade do método. Este é um método difícil mas eficaz se os pais souberem

e tiverem força para o levar até ao fim. Penso que na maior parte dos casos consegue ter resultados ao fim de 3 ou 4 noites.
De dina teles a 11 de Fevereiro de 2011 às 15:58
Li muitos dos diferentes comentários e este é o segundo comentário que aqui deixo. 
Sou mãe de uma criança de 2 anos e meio que terá dormido até ao momento 3 ou 4 noites inteiras e por isso como conseguirão imaginar eu não dormi nos últimos 900 e qualquer coisa dias uma noite completa. Ele não se chateia se dorme na cama dele ou na na minha cama desde que adormeça acompanhado e é uma criança que até adormece rápido.
É claro que todo este processo vai evoluindo e existem situações em que as coisas acontecem porque nós, pai e mãe, vamos permitindo que assim aconteça. 
Eu no meu caso apesar de gostar de sentir o meu filho perto de mim acho que ele deve dormir no seu quarto o qual faz desde os nove meses. 
Houve uma altura em que ele estava muito mais agarrado a mim e sempre que era o pai que lá ia ele berrava tão alto que eu acabava por ir lá. Depois insistimos até que ele começou a ficar bem com o pai contudo pedia-nos sempre para nos deitar com ele um bocadinho, ao que atediamos mas estava a tornar-se muito cansativo porque às vezes acabávamos por adormecer com ele e acordávamos muito cansados de dormir numa cama pequena. 
E houve uma noite que foi a gosta de água! acordou à 1 da manhã e lá fui, deitei-me 5 minutos e ele adormeceu para dali a 1 hora acordar outra vez!! Passei-me, levantei-me e expliquei-lhe que tinha que dormir na sua caminha e que a mãe e o pai dormiam na sua e que precisavam de descansar. É verdade que chorou que o levei uma 7 vezes de volta para o seu quarto que lhe expliquei a mesma coisa outras tantas vezes e que até lhe prometemos um brinquedo que ele queria muito. Este processo durou 1 hora. Foi duro para ele e para mim mas vê-lo a ficar na sua cama e a adormecer sozinho foi muito bom!!!!
Na noite seguinte chegada a hora de ir dormir lá fui leva-lo ao quarto deitei-o e aconcheguei-lhe a roupa resmungou 2 minutos mas ficou sozinho. Durante a noite acordou duas vezes levantou-se e foi até à porta do meu quarto, não entrando, disse-lhe para ir para a sua cama que já lá ia tapa-lo e ele foi! Tem sido assim desde então, mesmo à hora da sesta.
 
O meu filho passou a fazer uma coisa que é tão simples como dormir. Já não se sente dependente da presença do pai ou da mãe para dormir. E não me parece que tenha ficado traumatizado!!!!!


Para mim também foi bom ainda que me levante só vou ao quarto  dele para o tapar.


Já agora para responder a alguns comentários que me pareceram mais radicais e insultuosos gostaria de dizer que gostando ou não, aplicando ou não o método todas procuramos ser boas mães ainda que discordemos das diferentes formas de agir umas das outras. 


Felicidades à autora deste blog
De jef a 7 de Junho de 2011 às 15:55
querida rita é normal que criança durma e acorde de 3 em 3 horas à noite ,é a natureza ; não se preocupe,temos que nos adaptar a isso meso.logo passa perto dos 3anos e meio bjz
De Anónimo a 17 de Outubro de 2012 às 22:23

Aplicar este método num bebé com 4 meses roça o desumano!
Este método até pode ser eficaz mas para crianças com mais de 2 anos.
Uma criança com 4 meses ainda precisa muito do colo e do cheiro da mãe!!
De Susana Nini a 20 de Junho de 2008 às 16:16
Olá, olha eu estou disposta a aplicar o metodo no meu filhote e alias vou comprar o livro para conhecer melhor o metodo. Ele sempre dormiu muito bem sozinho, pois desde que nasceu o deixei na cama dele a adormecer sozinho. Mas agora começou a não ficar e isso coincidiu com o medo dos estranhos e a angustia da separação, que ele desenvolveu agora aos 8 meses. A partir dai so me quer a mim e tem de me ver sempre se vou p/ a cozinha ele vai p/ o parque que la tenho. Isso tudo bem, o pior é para dormir. Antes ficava la, agora chora, vira-se p/ ver se ainda la estou, se ja não estou chora, e como ele andava tão angustiado eu propria alimentei esse comportamento, admito. E agora adormece sempre comigo la ao lado do berço dele, sem lhe dar colo, mas a dar-lhe palmadas no rabo ate adormecer. Mas se acorda a meio da noite chora logo e ta com os sonos agitados e levinhos, acorda muitas vezes de noite...
Achas que o metodo ainda funciona? O meu filho ainda terá salvação?
Diz-me qualquer coisa por favor...
susy.nini@hotmail.com

Obrigado
De Carla a 12 de Fevereiro de 2009 às 15:38
Boa tarde,
o meu filho de 2 anos e meio "recusasse" a dormir na caminha dele. Tem sido um tormento, ele pira-se para a nossa cama e chora horrores. A minha única solução será fechar a porta do quarto, o que me arrepia um pouco só de pensar.
O que acha?
Carla
Obrigada
De princesa_beatriz a 12 de Fevereiro de 2009 às 23:00
Olá Carla:
Penso que fechar a porta do quarto será mesmo a única solução, embora também ache essa hipótese um pouco radical.
Mas, um vez que ele não fica na cama, acho que fechar a porta é mesmo o mais indicado. Se ele ficar no quarto, acaba por perceber que é lá que tem que dormir e aos poucos vai-se habituando.
Se decidir ir com isto para a frente, não pode ceder às "chantagens" dele e tem que cumprir os tempos à risca.
Não sei se já alguma vez experimentou o método, mas acredite que, por mais que custe, acaba sempre por valer a pena.
Espero ter ajudado.
Boa sorte e felicidades para vocês.

Mamã da Beatriz
De MARIA J. a 9 de Março de 2009 às 13:59
Boa tarde, o meu filho tem 2 anos e meio e acorda 4 a 5 vezes durante a noite. Comecei a aplicar o método estivill e apesar de ainda não estar perfeito já sinto uma melhoria muito significativa. Na 1º noite chorou durante 1 hora mas acabou por adormecer e só acordou 1 vez e voltou a dormir logo de seguida sempre na caminha e no quartinho dele. No entanto, à quarta noite e apesar de não ter feito fita para dormir, acordou 4 a 5 vezes e não queria ficar no quarto dele. Veio ter ao meu quarto e eu de imediato levei-o para o dele. Não o aconcheguei e voltei a deixar que ele adormecesse por ele. Todas a s vezes que ele acordou ,todas as vezes fiz o mesmo. Será que o meu filho teve algum tipo de retrocesso? Não fiz nada de diferente e ele esta noite voltou a acordar imensas vezes!!! Será que pode dar-me uma ajuda e esclarecer esta minha dúvida?


Obrigada

Maria J.
De princesa_beatriz a 9 de Março de 2009 às 16:14
Olá Maria:
Infelizmente não sei o que lhe diga. Pode ser que o seu filho precise de mais tempo para assimilar o método, ou então pode também fazer parte da percentagem de crianças a quem a aplicação do método não é eficaz.
Mas eu sou apenas uma mãe que também aplicou o método, e não uma especialista, por isso não a posso ajudar mais do que isto.

Desejo-lhe tudo de bom e espero que o método acabe por resultar. Sei bem o desespero que isso é.

Beijinhos e boa sorte.

Mamã da Beatriz
De Maria J. a 29 de Março de 2009 às 12:56
Olá Carla,

Antes de mais obrigado pela sua resposta. O meu filhote demorou um pouquito mais mas posso-lhe dizer que ao final de 3 semanas já dorme a noite toda no quarto dele e quando acorda já não vem ter ao quarto dos papás e volta a adormecer sozinho. Foi um pouquinho mais demorado pois ele já não dorme na cama de grades e conseguia sempre vir ter comigo a meio da noite. Levantava-me e ia colocá-lo na cama dele saindo logo de seguida e nem assim estava a resultar. Como não é aconselhado fechar a porta e como a grade para impedir a passagem ele passava por cima, decidi fechar as portas das restantes divisões deixando apenas as dos quartos abertas. Foram apenas 2 noites sem o ir leva-lo a meio da noite para a cama. Deixei-o chorar e "passear aos berros" entre o quarto dele e o nosso e ia dizendo a frase "mágica" até que ele desistiu e por ele foi para a cama dele sem a ajuda da mãe ou do pai. Agora já não sai da caminha dele. Queria que ficasse aqui o meu testemunho e posso-vos dizer que realmente vale apena e que resulta a 100% . Para mim não foi fácil pois neste período de 3 semanas a minha sogra (que tomou conta dele até aos 2 anos) faleceu sem ninguém sequer estar à espera e na semana seguinte o meu filhote adoeceu com garganta inflamada acompanhada com uma gastroenterite . Mas mesmo assim não desisti e consegui. Hoje dormimos todos muito melhor e apesar do desgosto recente notamos um descanso muito mais significativo. Posso também garantir que o meu filhote não ficou sequer traumatizado. Se tal tivesse acontecido iria fazer uma fita desalmada para ir dormir e isso não acontece. Muito pelo contrário é o 1º a pedir para ir para a caminha dormir.

Maria J.
De Tita a 17 de Novembro de 2012 às 00:51
Meu Deus...
4 meses??? o bebé tem mais é que mamar de noite!!!
MÂES!! MIMEM OS VOSSOS FILHOS. Quando derem conta já estão crescidos e independentes. Usufruam bem enquanto são pequeninos. O tempo passa a correr. 
De Barbara a 26 de Outubro de 2010 às 22:49

Que horror...
De susana a 25 de Maio de 2013 às 22:50
fechar a porta do quarto a uma criança e obrigá-lo a ficar lá trancado é malvado. 
De sr a 19 de Setembro de 2009 às 23:36
Olá desculpem meter-me na questão mas penso que é drástico demais e que pode acarretar problemas mais graves.
Penso que manter a sua decisão de ele ter que dormir na cama dele será o melhor...mas claro que n pode ceder a deixa-lo dormir na sua cama...mesmo que chore, nem mesmo adormecer lá.
S e ele sair e for pra sua, volte a ir deitá-lo e diga-lhe que não pode dormir na sua cama que tem que dormir na dele...pode demorar mas normalmente resulta manter sempre a rotina de" proibido a cama dos pais" sem cedencias. Se cede uma vez...ele vai usar isso das outras vezes.
De Joana a 30 de Março de 2012 às 11:48
Olá! Eu li o livro do método Estivill e não me pareceu descabido de todo. Tem lógica e aparentemente, por 2 ou 3 casos que conheço, surte efeito. De acordo com o livro não deve fechar a porta do quarto, pois aí a criança vai sentir-se revoltada, abandonada e como se estivesse a ser castigada. O objectivo é ele perceber que dormir é bom e não é nenhum castigo. Em vez de fechar a porta deve usar daquelas cancelas/grades para que ele não saia do quarto e deve ir visitá-lo em intervalos regulares e curtos até ele adormecer, para que perceba que não foi abandonado e que ninguem está chateado com ele. Começa por ir ao fim de 1mn, dps 2mn, dps 3mn e dps sempre de 3 em 3 mn até ele adormecer.
De joana a 30 de Março de 2012 às 12:01
Ah, esqueci-me de falar da minha experiência... O m filho vai fazer 5 meses e continua a acordar de 2/2h durante a noite para "supostamente mamar"... O que é um facto é que a maior parte das vezes quando agarra a mama já está em estado zen... não é fome de certeza...é mesmo consolo.
Segundo Estivill isto acontece pq ele não sabe adormecer sozinho e depende deste ritual para o fazer. Como todas as crianças ele acorda durante a noite varias vezes e devia adormecer novamente sozinho. Se esta chamada "insónia infantil" não for resolvida antes dos 5 anos passa a ser uma insónia aprendida e de mt mais difícil resolução... (e eu tenho pelo menos 2 casos na família que o provam. A m sobrinha, com 8 anos, tem medo de dormir sozinha, adia sp a h d ir p a cama e a meio da noite se acorda vai p a cama do pai ou da mãe...isto parece n ser problemático, mas tem-se revelado um problema, pois os pais são separados e o companheiro da mãe não acha graça nenhuma a estas excursões nocturnas, gerando-se discussões que tb a têm afectado...)

Mas voltando ao m caso... o m problema n é acordar toda a noite, pq há dias em que se leva bem a coisa...o problema é q vou começar a trabalhar e é impossível conseguir fazê-lo c sucesso desta forma... há dias que tenho dores de cabeça, tonturas, mau humor...e a m profissão envolve risco de vida para os outros, caso eu não esteja mm concentrada...Ora, como podem perceber, embora eu adore dar mama ao m filho e te-lo agarrado a mim, não posso continuar a fazê-lo por sistema. Comecei ontem a aplicar o método, (excepto durante a noite, pq acordaria o m marido q vai trabalhar...isso irei fazer agora no fds) e funcionou p as sestas e p adormecer no inicio da noite, sem gd stress. O m bebe só chorou cerca de 15mn na 1ª sesta e nos outros momentos só resmungou cerca de 10mn, mas já n foi aquele choro aflitivo. Agora só m falta conseguir fazê-lo durante a noite... vamos ver como corre...
De Fernanda a 6 de Maio de 2009 às 18:52
Olá!! Estou desesperada.... Tenho uma filha de 1 ano e 5 meses e nunca consegui deixá-la dormir sozinha pois teve refluxo muito forte e tinha que ficar no colo pq queimava a garaganta dela. E por isso até hj ela ainda dorme no nosso colo, mas não estamos mais aguentando essa situação. Ontem eu e meu marido tentamos deitar com ela na nossa cama (algo até mais traqnquilo que este método né!) e deixamos ela tentar pegar no sono durante 2 horas. Ela ficou tão nervosa que tremia e mordeu a boquinha e sangrou. Eu fiquei desesperada.... foi horrível. Alguém pode me ajudar? O que eu faço?? Obrigada
Fernanda
De Laura a 11 de Junho de 2009 às 03:20
Olá a todas as mamãs!

Vera tem seis meses. Não teve berço e não tem caminha. Nunca usou chupeta. Dormimos numa cama de casal, mas como agora está mais crescida e já dormimos apertadinhos, optamos por pôr mais uma cama no quarto, e é lá que dorme o pai.
O pai, que já tem 35 anos, não tem medo de dormir sozinho. Quem precisa de mim é a minha filha.
Quando a miúda adormece, ficamos na sala a fazer vida de casal. Vera acorda até seis vezes por noite. Eu vou, a embalo, dou-lhe de mamar e adormece logo. Não demoro mais de dez minutos. E depois deitamos juntas, e não sei se acorda ou não, porque busca a mãe (ou a mama) e lá está, não acordamos totalmente e a noite continua calminha.
Não quero imaginar o que seria minha vida com as rotinas "de revista" ou de manual: estou a dormir, minha filha acorda, eu a correr corredor acima, ir até à cozinha, preparar o biberão, voltar ao quarto... Assim ninguém descansa!!
Só as crianças ocidentais têm quarto próprio . Só as crianças ocidentais sofrem cólicas. O ser humano é o único mamífero que não dorme com os filhotes.

Respeito muito todas as decisões, mas acho que o que o método Estivill (que não é seu, é de um tal Dr. Ferber ) não ensina a dormir sozinho. Ensina a não obter resposta às suas necessidades.

Já li o livro, só por curiosidade, e eis a minha percepção:
- Não há em todo o livro uma referência bibliográfica, a menção dum estudo ou qualquer outra coisa que fundamente o "método".
- A linguagem do livro (só o li em espanhol, não sei se a tradução portuguesa é um bocado mais suave) é bélica, tipo: "se cedem às exigências da criança perdem a batalha"
- Não há, no registo da OMS de doenças, nenhuma conhecida como "insónia infantil"
- Antes de tomar um medicamento ou começar um tratamento , a primeira pergunta é se não será prejudicial . Por isso são obrigatórios os prospectos dos fármacos. Lá ninguém garante a inocuidade de aplicar tais métodos.
- Falham as matemáticas: no prólogo diz que o método funciona em 96% dos casos, e depois, no capítulo IV, diz que há problemas sem solução (15% de sonambulismo, 45% de pesadelos...) Então, e esse 96% fica em quê?
O método Estivill , mais que ensinar, adestra . E não soluciona os problemas de sono das crianças, mais sim os dos pais.
E o pior é que funciona, sim.
Mas, a que preço ?
Cada caso é um caso e cada opinião um mundo... Mas a única coisa certa com bebés e crianças é que as etapas sucedem-se muito depressa, e cada pouco superam coisas que antes achávamos problemas sem solução!
Eu lembro-me muito bem da minha infância, às vezes é conveniente pôr-se no lugar da criança. Certeza que poupavamos dores de cabeça, todos!
Peço desculpa, sou espanhola e ainda faço muitos erros ao escrever português, mas acho que a ideia ficou clara, embora não saiba ser mais breve...
Um abraço!
De sr a 19 de Setembro de 2009 às 23:49
sim provavelmente tem razão no que escreveu em cima...e sinceramente eu gostava de fazer o mesmo...de ter o filhote sempre junto a mim com todas as suas necessidades satisfeitas.
No entanto, talvez porque penso demais do que devia, faço uma questão...vive no mundo ocidental? a sua filha vai ter que se integrar no mundo ociedental? numa escola ociendental?
Pois se vai...que preparação leva para essa integração se for criada para outro mundo que não o ocidental com todos os seus defeitos?
Não sei se em Espanha é assim mas em Portugal nos começamos a trabalhar ao fim de 5 meses de licença de maternidade..o bebé vai para a creche na maior parte dos casos...lá vai ter que dormir num berço...e sozinho porque são à volta de 10 bebés para 2 pessoas cuidarem...
De juliana a 15 de Novembro de 2009 às 16:16
gostava de questionar a Laura: quando pretende que a sua filha durma sozinha? pensa que será fácil acabar com a dependência que a bébé tem de dormir com a mãe? quando tiver mais um filho ou filhos (se for essa a sua intenção claro...) vão dormir todos juntos na mesma cama? Acha saudável para a relação do casal o pai dormir noutra cama? já ouviu falar no síndrome de morte súbita, sabia que umas das principais causas é exatamente o bébé dormir com os pais?
Tenho 27 anos, e lembro-me de tambem querer ir para a cama dos meus pais quando era pequena, mas sempre ouvi um NÂO como resposta, e tal não me traumatizou. ´
Se acha que subir e descer escada e preparar o biberão é que dá trabalho, acaba por mante-la na sua cama por si, e não por ela...E já agora, como mãe como especialista em saúde infantil, deve saber que a sua filha com 6 meses já deveria dormir a noite toda, parece-me que vai para a sua mama por vício. Mas esta é também apenas uma opinião, fundamentada MAS APENAS UMA OPINIÃO.
Se acha que esta situação é boa e é sustentável a longo prazo, então não hesite em continuar.
De monica a 7 de Outubro de 2010 às 17:31

Olá.
 Concordo plenamente com a Laura. O dito metodo é uma solução para as noites dos pais e não das crianças.... Como refere o autor é preciso ensinar as crianças a dormir, como se as ensina a andar.... o que é certo é cada criança é única, tem as suas necessidades e ritmos diferentes muito influenciados pelo seu quotidiano, logo cada uma será diferente, não há uma receita milagrosa... Hoje em dia os pais querem um " manual de instruções " para os filhos por forma a que eles façam as coisas rapida e eficazmente, pois têm pouco tempo, pouca disponibilidade, mas é errado. Quem tem filhos tem que estar preparado para dificuldades e dar tempo ao tempo, fazer pequenos progressos diariarios até atingir a perfeição, sem deixar de dar carinho TEMPO e atenção aos mais novos.
Educar é uma aventura única em casa criança e cada adulto.
De Roberto Costa a 28 de Outubro de 2009 às 23:23
Li o metodo stevill no blog da princesa Beatriz;
Gostei das dicas e vou colocar no nosso blog com a fonte.

Muito legal.

www.pintinhoamarelinho.com.br (http://www.pintinhoamarelinho.com.br)

obrigado
Atenciosamente
Roberto
De Putchyfather a 29 de Outubro de 2009 às 10:24
Com a Putchy resultou em pleno e não ficou 2 horas a chorar no primeiro dia, mas somente 10 minutos. No segundo dia já foi menos, ao terceiro já adormecia sozinha e até diz adeus com a mão quando lhe dizemos até amanhã. Claro que cada caso é um caso, mas no meu, resultou em pleno.
De Laura a 17 de Novembro de 2009 às 14:57
Olá!

Gostava de responder a sr e a juliana:

Vivimos no mundo ocidental, sim. Agora no Porto, as vezes em Espanha. Vera já tem um ano, e ainda acorda duas ou três vezes por noite. E continuamos a não importarmos muito, porque tem o que precisa mesmo perto de si.
Se com "relação de casal saudável" estamos a falar de vida sexual, a nossa continua ainda melhor. Um dia tem 24 horas e uma casa vários quartos, mais a sala, a cozinha, a casa de banho... Quando precisamos dum momento de intimidade, o temos, a vontade.
A licença de maternidade em Espanha é de 4 meses. O pai da Vera tem dois empregos, e eu tenho a sorte de poder ficar em casa com minha filha, embora já tenha passado dias com os avós (a dormir com eles, claro) e numa creche, onde não teve maiores problemas.
Se vemo-nos obrigadas a deixar às crianças, que melhor que aproveitar ao máximo o tempo que temos com elas?
É claro que mantenho a minha filha na cama por mim, e acho que é o melhor que já fiz como mãe. Falo com outras mamãs e sou a mais descansada, com diferencia!
Pretendo ter mais filhos, e pretendo dormir com todos no mesmo quarto. Os mais velhos com o pai, os mais novos comigo. E de certeza que acha isto uma aberração, mas minha intenção é educar aos meus filhos em casa. Acho que se uma criança não tem problemas de insegurança, vai ser capaz de tomar as próprias decisões quando estiver preparada, tais como ter um quarto próprio ou querer ir à escola.
Gostava de ter mais tempo e explicar-me melhor, mas vou manter o vício da minha filha e vamos mamar.
Um abraço.

PS: Por que acham que minha opinião não é fundamentada?
De Marília a 4 de Março de 2010 às 03:11

Acho que o verdadeiro problema, neste caso, é seu e do seu marido que estão a pensar criar crianças desta forma.
Estão simplesmente a contribuir para que as vossas crianças venham a ser crianças traumatizadas e com graves problemas de natureza social...
Se se querem comparar aos animais que dormem todos juntos, então têm também que pensar que a partir de certo momento estes deixam de reconhecer os pais (ou a mãe, porque nos animais o pai afasta-se logo depois do acto reprodutivo), começando a ter relações entre si... Não sei se é este o caminho que quer seguir, dando origem a uma família completamente disfuncional.
E a minha opinião também é fundamentada uma vez que sou psicóloga clínica, mas a mamã que não tem qualquer conhecimento sobre estas questões é que sabe... e a verdade é que cada um educa os filhos como bem entende, mas um dia terá que lidar com as consequências e aí já poderá ser tarde para as crianças...
De cp a 4 de Junho de 2011 às 23:12

olá
De cp a 4 de Junho de 2011 às 23:19

olá
mas isto tudo é um exagero!!!
quantas crianças foram e são educadas em casa sem serem disfuncionais ou qualquer outra coisa "fundamentada"?
aqui em casa o meu filho mais velho dormiu comigo até aos 4 anos, altura em que falei com ele, sem choros e passou a dormir só!! o meu mais novo tem 2 anos e quando chegar por volta dos 4 anos, muda-se para o outro quarto, sem berros nem choros!!
tive sempre noites descansadas. o 1º dormia a noite toda, deixou de acordar por volta dos 7 meses, e o 2º deixou de acordar para mamar já tinha 18 meses. cada caso é um caso, e falar das crianças como se fossem nosso inimigo (não ceder, perder batalhas)... enfim.
Mas atenção: nada disto fundamentado. olho à minha volta e vejo crianças e famílias completamente disfuncionais e que sempre dormiram sós.
De susana a 25 de Maio de 2013 às 23:02
Marilia, dra psicologa, por causa de pessoas muito licenciadas mas pouco sábias é que o mundo está virado do avesso, por existirem pessoas tão pouco conscientes, tão pouco despertas tão pouco humanas,... sabe, devia passar mais tempo com crianças, elas ensinam-lhe tudo o que precisa de saber.



De Beatriz a 2 de Abril de 2010 às 23:28
Eu acho horrivel filhos a dormirem com os pais. Eu fui criada assim e ainda hoje não consigo dormir sózinha. Sou mãe, casada e completamente sã. Mas dormir sózinha não consigo. O meu marido quando viaja eu simplesmente não durmo. Portanto, vejam o que fazem aos vossos filhos com essa mania de que as crianças não precisam de limites. Ou que chorar um pouco faz mal. Tenham santa paciencia.
De patricia a 14 de Abril de 2010 às 15:50
Eu também fui criada assim e hoje não tenho problemas em dormir sozinha, aliás nunca tive....
hà pessoas que exageram.... sou defensora de q a criança deve dormir sozinha, mas não me mete confusão nenhuma quando dormem com os pais, mete-me mais confusão quando ninguèm dorme em casa... O meu filho de 3 anos dorme no quarto dele sozinho e a meio da noite acorda e um de nós vai para a cama dele, ele dorme por noite 12horas e é uma criança feliz... também dormiu na minha cama e isso nunca me fez confusão... e não é por isso que a minha vida sexual foi afectada, até pelo contrário, dá mais pica, pq quando conseguimos é até muiro mais intenso, porque nos leva a ser mais criativos...

Eu tb tentei este método mas tb não consegui deixar o meu filho aos berros até adormecer... e pode até ser para o bem da criança, mas não me digam que ela não sofre.... eu prefiro conversar com ele e fazer a coisa por etapas e aos poucos tou a conseguir sem stress para ninguém...
Tenho uma menina de meses e ela adormece na cama dela de dia e de noite sem problemas e aí permanece toda a noite... Acredito que a criança nasce com a sua personalidade e por isso para umas mães é mais fácil do q para outras... claro q no segundo flho nós já aprendemos com os erros do primeiro!
Mas por favor não digam q a criança não sofre (é claro qu tb depende da idade) Mas dexar uma criança de meses a chorar desalmadamente pode ser perigoso e arriscado.
De Laura a 4 de Março de 2010 às 04:15

Estimada Sra Marília:

Muito obrigada pelo interés que mostra pela minha família disfuncional. Se deixa o seu contacto vamos à sua consulta para curar-nos.
Ou se calhar é a senhora quem anda a precisar de ser tratada, se acha que por dormir juntos vamos todos ter sexo, filhos, pais... À sério, recebo muitas críticas (fundamentadas ou não), mas até agora esta foi a mais original. Obrigada novamente.
E pronto, sou pediatra e ando a tirar o curso de psicología na Universidade Aberta Española (UNED).
Mas será que não o pareço, com tanta mãe documentada e fundamentada que anda na net.
Senhora Marília, se deseja saber mais sobre minha família, ou deseja estudarnos, ou simplesmente conhecer outras opções de crianza, não hesite em perguntar. Mas, por favor, tente ser mais educada, nós não nos conhecemos de nada. Obrigada (por terceira vez)

Mamã de Beatriz, peço desculpa pelo debate que está a gerar o post, mas gosto de partilhar a minha opinião. Se calhar aparece alguém que não a ache uma aberração...
De Marília a 4 de Março de 2010 às 13:41

O facto de ser pediatra pelos vistos não lhe trouxe grandes conhecimentos, porque os próprios pedriatras, e olhe que conheço muitos, aconselhem os pais a não dormir com os filhos.
E se está a tirar psicologia, então também irá aprender que é das coisas mais prejudiciais à saúde mental das crianças.
O que a faz considerar que necessito de tratamento, é o fruto da minha experiência, se calhar muita mais da que tem como pediatra e, de certeza, da que tem como psicóloga.
Acredite que me passam muitos casos pelas mãos de crianças com graves problemas devido aos comportamentos dos pais, sendo este um dos mais frequentes.
Quanto ao facto de ter referido o sexo, foi devido à comparação que foi feita com os animais...
Quanto à educação é dada na mesma moeda, tal como respondeu a outras pessoas e tal como me respondeu a mim...
Acredite que tenho muita mais experiência do que a Sra tanto como profissional e principalmente como mãe de 3 filhos e avó de 4 netos...
Mas volto a dizer, cada um educa os seus filhos como quer, depois terá é que lidar com as consequências de tal educação.
Quanto ao facto da sua opinião ser uma aberração, cada um tem direito à sua, agora não pode é querer que os outros concordem com ela, e acredite que a maioria dos técnicos, profissionais de saúde e mãesnão concorda,mas se calhar é maioria que está errada e a Sra que está certa... Acontece... 
Dito isto, não tenho mais nada a dizer-lhe e espero sinceramente que a sua filha, e futuros filhos, não venham a ter problemas de maior devido às opções dos pais.
De Cristina a 4 de Março de 2010 às 16:44
Boa tarde,

Entrei hoje pela 1ªvez no blog visto este ser um assunto que me interessa bastante pois sou uma mãe divorciada de um menino de 4 anos. Queria apenas deixar o meu testemunho. O meu filho dormiu sozinho até aos 2 anos praticamente, entretanto fomos de férias e como estavamos num quarto de hotel ele passou praticamente um mês a dormir comigo e o problema foi apartir dai. No regresso de férias já não quis dormir sozinho chorava pq queria dormir na cama da mãe e eu erradamente fui amolecendo apesar de ter perfeita noção do erro que estava a cometer! Ninguem adora mais os fihos q eu, mas reconheço q apesar de continuar a deixar o meu filho dormir comigo não estou a pensar nele mas sim em mim e quem diz o contrário não está a ser sincero! É mto mais fácil encolher os ombros aos caprichos dos nossos filhos que contrariá-los pois isso dá trabalho! Na minha opinião é pena que não existam "provas" como a carta de condução ou exames de admissão para se ser mãe, pois assim tenho a certeza que muitas não o seriam. Queria ainda acrescentar de que o meu filho sozinho dormia cerca de 12 horas por noite e apartir da altura que começou a dormir comigo reduziu drasticamente as horas de sono. Estou a pagar o erro q cometi pois agora com 4 anos as dificuldades para po-lo a dormir sózinho aumentaram. Vantagens para o meu filho de dormir com a mãe não vejo nenhumas apenas a de lhe ter aumentado a dependencia a mim!
De Susana a 4 de Março de 2010 às 14:04
Olá D. Laura

Queria apenas dizer-lhe que compreendo a opção que tomou em manter a sua filha o mais perto de si possível inclusivé durante a noite. De facto com os dias que correm é enorme a tentação de compensar junto dos pequeninos todo o tempo em que estamos ausentes.
Todavia, uma criança saudável e integrada no mundo ocidental, como chega a mencionar, precisa naturalmente muito mais do que a mama e de alguém que lhe segura a mão a toda a hora.
As mães" fundamentadas e documentadas  que andam na net" podem não ter tantas habilitações académicas como a senhora diz ter, mas muitas delas concordarão comigo se disser que para além das toneladas de carinho, amor, atenção e total dedicação, as crianças precisam de desenvolver capacidades que lhes facilitem a integração em qualquer altura da vida.
Assim sendo, gostaria apenas que pensasse em algumas questões que me parecem pertinentes:A  vida da sua filha não lhe pertence mas a ela. Porquê privá-la de lidar com os seus medos e inseguranças de ter o seu espaço (quarto), de dormir em casa de um coleguinha um dia mais tarde (o que nunca poderá fazer porque a mãe não está lá), porquê pri
  vá-la de fazer todas as coisas que todas as crianças devem ter oportunidae de fazer?
A meu ver educar uma criança é prepará-la para a vida que a espera e não colocá-la numa redoma de vidro que você nem sabe até quando será capaz de segurar.
Deixe os seus filhos "saírem para fora do quarto", e explorarem o mundo e os sentimentos que os rodeiam porque isso não significa que você não os ama, significa que o seu trabalho como mãe foi cumprido. 
De lucia a 6 de Março de 2010 às 21:58
Uma mãe que prática co-sleeping não é necessáriamente uma mãe galinha que se recusa a deixar crescer o seu filho. Que exagero!!  É uma mãe que se disponibiliza tanto de dia com de noite. Sim, dá conforto e amor, mesmo de noite! Quanto à independencia que a nossa sociedade ocidental tanto aprecia? Ela virá com o tempo. Não é algo forçado, imposto de tenra idade. Também não exigo à minha filha de 3 meses que use o bacio, nem  que ande ou que fale. Porque Haveria de exigir que durma sozinha?
Não acredito que para preparar uma criança para a vida se tenha que "abandona-la" da meia-noite às 7h da manhã. Tem é que se dar muito amor e carinho, assim ganhará toda a segurança interior para ser forte e independente.
No meu caso tornei-me co-sleeper por necessidade; a minha filha não dormia por nada deste mundo na sua cama ( e nós bem tentámos).  A alternetiva era deixa-la chorar até se cansar. E isso NÃO!
Pesquisei sobre o assunto e descobri que até  é benéfico para a criança, e sim, até há pediatras que o recomendam! E tornei-me fã...
De mãe do JM a 18 de Maio de 2010 às 12:28

olá
eu sou a mãe do JM. O meu principezinho nasceu com baixo peso. Foi para casa com recomendação de mamar a cada 2h30 dia e noite (e assim foi até quase aos 3 meses). teve um refluxo exuberante até aos 6m e meio de vida e mesmo agora parece-me que não está totalmente resolvido.  No  geral cresceu bem, está um menino lindo, bem disposto, curioso... dorme no quarto dele desde os 7 meses. mas já tem quase 17 meses e acorda pelo menos 3 vezes por noite, só . Já li muito, perspectivas diferentes. A pediatra ri-se muito, e diz para aguardar.  Já tentei o método Estivil, desisti logo na primeira noite porque o meu anjinho de olho azul ficou tão desorientado que ainda não tinham passado 10 minutos e ele já tinha vomitado por ele abaixo, a cama, o chão, ... e quando finalmente peguei nele ainda vomitou por cima de mim. Foi banho para ele que não parava de chorar e se agarrava a mim de tal forma que tive de me meter na banheira com ele, banho para mim, limpeza geral ao quarto, resguardos cobertores, protector de colchao, tudo para lavar~.... a noite toda sem dormir porque depois desta cena ele pegava no sono 10 minutos e acordava num pranto e nos 2 dias seguintes andou de uma instabilidade ´que até metia dó.
Eu adorva ficar com ele em casa e dizer que não me custa acordar 3 ou 4 ou 5 ou... vezes por noite mas eu trabalho todos os dias (2ª a sábado) e preciso de estar racional para executar as minhas funções... eu preciso de dormir.
impus as tais rotinas quase rigidas (nao podem ser totalmente porque como saio muitas vezes tarde de trabalhar ...há dias em que  ele iniciaas rotinas nos avós) de banho(as 19h30), sopa,fruta (as 20-20h30), jantar do papa e da mama, brincar um pouco, contar a história , 22h "vamos dormir". ele ri-se muito, da um xi apertadinho e são 24h ainda nos anda a "cantar o fado".
sou má mãe? se calhar porque o meu filho não está a comer e dormir como seria de esperar, mas até essas mãwe fantásticas que tantas vezes me criticm o vêem a pedir pra mamar e dizem (oh dá-lhe lá o peito!").
Uma mãe que não dorme /descansa é uma mãe à beira de um ataque de nervos. e eu neste momento estoiu nesse grupo.
De iNÊS a 13 de Dezembro de 2010 às 22:36
Olá mãe do JM. Muitos parabéns.

É muito dificil para as mães admitirem que ja estão no ponto de arrancar os cabelos... É um acto de coragem.
Cada criança tem o seu ritmo e cabe-nos a nós pais sermos um pilar nessa demanda. Temos que dar segurança aos nossos filhos para eles poderem descobrir-se a eles próprios e encontrarem o seu ritmo. Nalguns casos demora dias, noutros meses, noutros anos. Mas acabam sempre por encontrá-lo... e o facto de demorar mais ou menos tempo não significa que somos maus pais. Temos simplesmente q ser mais pacientes.

É um grande sacrificio habituar a criança ao seu espaço, a estar sozinha, a acordar sozinha. Penso que temos de certa forma perceber que a criança ja está preparada para ir para o seu espaço... Mas, essa percepção tem e deve ser pensando na criança e não no nosso conforto ou nos nossos medos. O meu pequenote foi aos 5 meses e meio para o quarto dele. Porque senti que ele precisava. E porque percebi que, se não fosse naquele momento, ele iria sofrer muito com a mudança por ja estar muito apegado a mim. Nas primeiras noites devo ter-me levantado algumas vinte vezes... Neste momento, com quase 7 meses, lenvanto-me duas vezes. Uma para o ultimo biberão e outra porque já está na hora do nosso dia começar. Se custou? Muito. Mesmo muito. Mas iria custar-nos muito mais aos dois se fizesse uma transição violenta, em que o deixasse a chorar quando tudo o que ele queria era confirmar que não estava sozinho. Crescer doi, é verdade. Mas pode doer muito menos se formos persistentes e perseverantes. Por isso digo, acima de metodos, acima de conselhos de amigos, mães sigam o vosso instinto e pensem no vosso pequenote. Sejam altruistas e pensem no que é melhor para ele e na forma mais suave de fazer as coisas.
De ana ribeiro a 2 de Março de 2011 às 14:22
oi mamas! sou muito curiosa e ja ouvi muitas opinioes sobre este metodo, mas pesquisei e cheguei a este blog.


espero q todos os problemas com os sonos dos vossos bebes se resolvam!


a minha humilde opiniao é a seguinte:


devemos fazer o q achamos melhor para os nossos filhos!


no meu caso nao consigo deixar chorar (meu filho tem 3 meses e meio) e tb nao consigo estar calma com ele a dormir comigo, muito pela razao de que sou uma estabanada a dormir e pk ja nao considero saudavel estar estar o meu filhote com 5 ou mais anos a dormir na nossa cama! mas la esta ha quem consiga aplicar muito bem o co-sleeping e seja feliz com ele! tenho o caso  da filha da patroa da minha mae q tem 4 filhos, todos têm o seu quarto e a unica coisa q nao fazem é dormir. dormem todos no mesmo quarto e trazem amigos la a  casa e quem quer dormir sozinho nao faltam quartos lol e quem quer dormir com os irmaos todos mais os pais dos irmaos é so acrescentar sacos cama looool (va tb nao lhes falta espaço :P ) e eles andam na escola têm amigos e fazem uma vida social normal! 


nao acho q seja mais traumatizante q dormir sozinho, so q eu decidi nao deixar q o meu filho durmisse comigo.


demorei quase 2 semanas para habitua-lo ao berço, a partir do primeiro mes de vida depois ele so adormecia ao colo mas depois ficava e so acorda uma vez para mamar. actualmente ainda lhe dou mama a meio da noite mas ele ja dorme sozinho sem precisar de ser ao colo!


se ele voltar a ter problemas de sono farei como a mama ines e persistirei perdendo o meu sono por dias ou semanas mas sempre lhe explicando o porque de dormir no seu espaço! e eu sou impaciente por natureza, mas com o meu filho nao posso ser! eu desde q o meu filho nasceu que falo com ele como se fosse uma criança grande e ele mesmo sem entender o meu vocabulario entende a forma como lhe falo e consigo acalma-lo muito a partir daí e com essa forma tb garanto q lhe dou segurança e que confio nele!


pelo menos eh o q eu acho e mantenho!


beijinhos e muitas felicidades para todas e aos seus filhotes!
De Inna a 22 de Abril de 2010 às 01:39
Cara Laura! É para dar lhe apoio e parabens pela sua decisão de ser uma mãe a "tempo inteiro". Eu tambem deixo dormir o meu filhote de 3 anos ainda comigo na cama de casal, embora o pae refugiou se no outro quarto, mas só para não ser pontapeado por pequenino e poder ver programasTv a vontade a noite.Eu tenho 46 anos e se como primeiro filho ha 23 anos atraz corria a seguir indicações medicas e cumprir as medidas e horarios...esta vez decidi seguir a natureza e desde momento que ele nasceu pus ele junto comigo na cama. isto e o uso permanente do Sling ajudaram me imenso este primeiro tempo dificil para os paes e os filhos. O bebe forma se ate 3 anos, a personalidade, a percepção dele do mundo e pessoas, o sentido de segurança. Pode ser dificil para nos, mas este tempo junto com mãe é precioso para ele. Ha tempo para tudo: para colher,penico, cama propria..Se nos vamos força lo seguir os nossos interesses e ignorar os dele..parece que esta viver no orfanato e não na casa dos paes! Eu sei que ele precisa sentir aminha presença perto dele, é natural para um ser tão pequenino!e tambem li nalgum citio que quando as crianças pequenas, bebes dormam toda noite sem acordar, é porque assim o organismo dele assim reaga para defender se do choque de descobrir que esta sozinho neste mundo grande e hostil. Pode ser ate perigoso e a medica disia que ate aconcelhava acordar lhes de proposito para amamentar..A opinioes para tudo.. Cumprimentos  Inna Calori
De cp a 4 de Junho de 2011 às 23:23

um bem haja para si, Laura. Estou super contente por tê-la encontrado e lido as suas opiniões.
De Mókia a 15 de Março de 2010 às 22:15
Para os que se horrorizam com este tipo de métodos aconselho o livro: "Besame mucho" de Carlos Gonzales e este site
http://www.askdrsears.com/html/7/T070100.asp (http://www.askdrsears.com/html/7/T070100.asp)

à julia: vá pesquisar sobre o fenómeno de morte subita para aprender que dormir com os pais só apresenta risco se a mãe fumou na gravidez ou fuma ainda, risco que só se mantém nas primeiras 16 semanas. Alias dormir com os pais ou no quarto dos pais é um factor de protecção. Não nos alarme com os seus preconceitos desinformados, por favor.

Quanto a comparar famílias que practicam o co-sliping com animais e sugerir insesto logo de seguida: Que tal umas consultas com um psiquiatra mas muito rápidamente? Está mesmo a precisar de ajuda urgente! _
As crianças fazem-nos sentir quando estão prontas para deixar a nossa cama. O meu filho de 3 anos adormece na nossa cama, comigo ou com o pai a ler os seus livrinhos e a ouvir  histórias, depois de tranqulamente adormecido vai p a cama dele, de manhã vem p a nossa p o mimo, ou p dormir mais um pouco ou p tomar o leite.  A irmã de 1 mês adormece ao colo ou na mama e durante a noite dorme na alcofa ao lado da nossa cama ou mm connosco. A independdencia  na hora do sono vem naturalmente com a maturidade em crianças sem qq disturbio.
Não julgo quem tem de aplicar métodos como este mas detesto os que pretendem  achincalhar os que preferem métodos naturais e intuitivos:-(
De joana a 30 de Março de 2012 às 12:28
Já expliquei o m caso atrás, mas gostaria de dizer mais uma coisa...

Acho que cada um deve fazer o que sente ser melhor para o seu filho em 1º e para os pais em 2º. Se os pais estiverem angustiados c qq método q adoptem, n resultará de certeza, pq o bebé sentirá essa angustia, q tanto pode encarar como uma fragilidd q vai aproveitar p conseguir o que quer, como poderá ser um factor d angustia tb p ele, pq o estado de espírito dos pais reflecte-s nos filhos.
 O q devem mm ter em atenção é q toda a família esteja de acordo, pq n m parece saudável os pais saírem da cama do casal s n for por acreditarem q o bebé deve dormir c a mãe...mas sim pq n conseguem dormir "em família" e n querendo contrariar a vontade da companheira adoptam essa postura. N esqueçam q os nossos filhos são mt importantes, mas só existem pq existia já uma relação de casal, q deve ser sp respeitada.
No m caso, nem eu nem o m marido conseguimos dormir c o nosso filho na cama...só por um período mt curto e já de manhã, qd estamos mais despertos...por isso, o bebe continua no nosso quarto, mas no seu berço. Acho q passará p o seu quarto quando deixar de caber no berço, pq a caminha não cabe no nosso quarto, e nessa altura veremos como fazemos. 
Faremos certamente o q sentirmos ser melhor... o importante é o q sentimos... e c isto n quero dizer q adoptemos comportamentos q nos fazem sentir bem, mas q sentimos ser bons p o nosso filho e p nós enqt família... falo d sentimentos positivos p todos e p o futuro, tipo sentimentos ponderados.

Comentar post

 

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

© Princesa Beatriz | 2007

 

online

 

mais sobre mim

pesquisar

 

Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

 


 

sites que visito

aventuras recentes

TPC: o leite

Dizer a morada

Verão ou Outono? Eis a qu...

Manuais escolares

Dentes a cair - parte II

Estrunfes e Smurfs

Regresso às aulas

Dentes a abanar - parte I...

Dia Mundial da Fotografia

Dentes a cair - parte I

outras aventuras

tags

todas as tags

Web Page Traffic Counters

 

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa